Pró-Saúde participa da Rio+20

 

O ‘Desenvolvimento Sustentável na Saúde’ foi o tema da palestra promovida pela Federação Brasileira de Administradores Hospitalares na Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, com a presença de quarenta integrantes da Pró-Saúde, organização social  comprometida com a política ambiental.

Paulo Câmara, diretor superintendente da Pró-Saúde, fez a abertura dos trabalhos. Os palestrantes foram Gonzalo Vecina Neto, diretor corporativo do Hospital Sírio Libanês, Vital de Oliveira Ribeiro Filho , Gestor do Programa Hospital Sustentável da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e Edson Ferreira da Silva, diretor geral da Santa Casa de São Paulo

Estiveram presentes, entre cerca de cem convidados, Paulo Mergulhão, presidente da Pró-Saúde; o diretor Sérgio Fausto Vulpe; Padre Cherubim, pioneiro da profissionalização da gestão hospitalar no Brasil e José Carlos Rizzoli, ex-presidente da organização social.

A Pró-Saúde busca para suas sedes a certificação ambiental da ISO 14.000,  uma série de normas desenvolvidas pela International Organization for Standardization (ISO) , conforme anunciou em eventos de sensibilização realizado em maio último para seus diretores, gerentes e colaboradores.

Na sede administrativa em São Paulo já foi realizada a troca de todas as lâmpadas por led, as descargas são de acionamento duplo, os residuos sólidos são segregados, pesados e doados.

Em alguns hospitais, já estão sendo adotados processos para reduzir o gasto de energia e água, ampliar a reciclagem e abolir o uso de mercúrio.   

Política Ambiental Pró-Saúde 

Nosso compromisso é preservar a vida com dignidade sem discriminação de qualquer espécie, de acordo com os seguintes princípios:

  • Capacitar nossos colaboradores para desenvolver ações economicamente viáveis, socialmente justas e ambientalmente adequadas para a preservação do meio-ambiente.
  • Promover o comprometimento da melhoria contínua dos processos e serviços com ações de qualidade e visão em sustentabilidade.
  • Possibilitar que todas as dependências possam dialogar com as partes interessadas, sempre observando a legislação sócio-ambiental.
  • Propiciar que os objetivos e metas ambientais da entidade sejam divulgados pelos meios de comunicação.

 (Fotos de Carlos Camacho)

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*