Salário Emocional como ferramenta motivacional em ambientes de crise

“Um dos grandes desafios da gestão de pessoas no mundo corporativo é administrar as formas pelas quais as políticas institucionais buscam atender às necessidades de seus recursos humanos. O pagamento do salário em termos monetários já é considerado insuficiente” considera a psicóloga Patrícia Jaen, gerente de Recursos Humanos da Pró Saúde TO, que aborda aqui o salário emocional, “como ferramenta motivacional em ambientes de crise”. 

“A insegurança e a ansiedade diante da antecipação do encerramento do contrato vêm afetando a motivação dos colaboradores” reconhece Patrícia, ao se referir ao Hospital Geral de Palmas, onde a área de Gestão de Pessoas busca neutralizar os efeitos negativos do momento de transição. 

A psicóloga defende outros fatores que podem aumentar a motivação dos colaboradores, tais como: estabelecimento de metas claras, processo de comunicação transparente e disposição das lideranças para acolher sua equipe. “Quando existe a preocupação com esses benefícios indiretos, o retorno para tal investimento advém com a maior integração da equipe e comprometimento com resultados. Assim, eles podem vir a ser satisfatórios, ainda que em ambientes turbulentos” garante Patrícia.

Leia a íntegra aqui.[prettyfilelink src=”http://prosaudetocantins.org/wp-content/uploads/2012/08/Artigo_-Salário-Emocional-como-ferramenta-motivacional-em-ambientes-de-crise-1.doc” type=”doc”]Artigo_ Salário Emocional como ferramenta motivacional em ambientes de crise (1)[/prettyfilelink]

Patrícia Jaen é graduada em Psicologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, tem MBA em Gestão de Pessoas pela Universidade Cruzeiro do Sul e é gerente de Recursos Humanos da Pró Saúde TO.

 

3 ideias sobre “Salário Emocional como ferramenta motivacional em ambientes de crise

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*