Arquivos da categoria: Dicas

Luta contra a Hanseníase

Você saberia identificar os sintomas da hanseníase? A doença infecciosa é contagiosa e causa manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas na pele com diminuição sensibilidade ao calor, frio, dor e ao toque. Também pode ocorrer sensação de formigamento, fisgadas ou dormência nas extremidades, surgimento de caroços e placas em qualquer local do corpo e diminuição da força muscular, por exemplo, como ter dificuldade para segurar objetos. Causada pelo bacilo Mycobacterium leprae, a hanseníase não é hereditária e sua evolução depende de características do sistema imunológico da pessoa infectada.

hanseniase

Em dez anos o Brasil registrou uma queda de 68% nos casos de hanseníase. Em 2013, para cada 100 mil habitantes, menos de 16 são diagnosticados com a doença. Antes este número era de aproximadamente 30 pessoas. Em relação ao ano de 2014, dados preliminares apontam números ainda menores, de 12,14 por 100 mil habitantes, correspondendo a 24.612 casos novos da doença no país. Na população menor de 15 anos houve registro de 1.793 casos.

Alcione Fonseca conta que sua mãe, Maria Ednalva Fonseca da Silva, 67 anos, foi diagnosticada com hanseníase e passou seis meses em tratamento. “Ela descobriu depois de umas manchinhas que ela tinha na pele, que coçavam muito, eram branquinhas e com as bordas avermelhadas. Como minha mãe é do interior, ela fazia muito remédio caseiro e nada disso adiantava. Ela notou que a manchinha não tinha sensibilidade na região. Ela colocava tudo, até água quente e dizia que não sentia nada. Eu falei que ela precisava fazer um exame e que poderia ser hanseníase”, explica a filha.

A hanseníase tem cura. O tratamento é feito nos serviços de saúde e é gratuito. Após iniciado o tratamento, a pessoa para de transmitir a doença quase que imediatamente. Quanto antes houver o diagnóstico, mais rápida e fácil também pode ser a cura da doença. O tratamento é via oral, pela poliquimioterapia (PQT), uma associação de medicamentos que evita a resistência do bacilo e deve ser administrada por seis meses ou um ano a depender do caso. Os pacientes deverão ser submetidos, além do exame dermatológico, à uma avaliação neurológica simplificada e sempre receber alta por cura. Vale lembrar que todas as pessoas que convivem ou conviveram com quem recebeu o diagnóstico de hanseníase devem ser examinadas nos serviços de saúde.

Maria Ednalva realizou o tratamento de hanseníase durante os seis meses pelo Hospital Rafael Fernandes, em Mossoró, no Rio Grande do Norte, e já está curada. Nos últimos dez anos, a taxa de cura da doença no país aumentou 21,2%. Em 2003, 69,3% das pessoas que faziam tratamento para hanseníase se curaram. Já em 2014, esse número saltou para 84%.

Para continuar conscientizando a população e alertando sobre os sintomas da hanseníase e a importância de tratar a doença, o Ministério da Saúde lançou a campanha publicitária com ações que marcam o Dia Mundial de Luta contra a Hanseníase. Com o mote, “Hanseníase: quanto antes você descobrir, mais cedo vai se curar”, a ação tem como foco o diagnóstico precoce da doença e o tratamento que é ofertado de graça no Sistema Único de Saúde (SUS).

Fonte: Ana Beatriz Migalhães/ Blog da Saúde

Aprenda a substituir o sal por temperos frescos e saudáveis

Temperos_Crédito_aboikis

Foto: aboikis

Temperos industrializados, como caldos em cubos e molhos prontos são considerados alimentos ultraprocessados. No geral, esses produtos possuem quantidades excessivas de sal, gordura e açúcares, que contribuem para o maior risco de desenvolvimento de doenças do coração, diabetes e vários tipos de câncer.

O sal é uma das principais fontes de sódio da alimentação e seu consumo exagerado pode resultar no aumento da hipertensão arterial. No Brasil, a doença é diagnosticada em cerca de 33 milhões de brasileiros. Destes, 80% são atendidos na rede pública de saúde.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a quantidade indicada de sódio na alimentação é de, no máximo, duas gramas por dia (o que equivale a cinco gramas de sal). No Brasil, estima-se o consumo médio diário de quase 12g de sal por pessoa, mais que o dobro do recomendado pela OMS. O Ministério da Saúde incentiva o uso moderado de sal no preparo dos alimentos e firmou um contrato com a Associação Brasileira das Indústrias Alimentares (ABIA), em 2011, para reduzir o teor de sódio em alimentos processados no Brasil. A expectativa é retirar, até 2020, mais de 28 mil toneladas de sódio do mercado brasileiro.

De acordo com a Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, ervas frescas como alecrim, manjericão, salsa, cebolinha, tomilho, hortelã e orégano são fontes de vitaminas, minerais e compostos bioativos e possuem valor calórico muito baixo. Os temperos frescos podem ser utilizados em diversas preparações culinárias agregando sabor e aroma a receitas. Uma das dicas do Guia Alimentar para a População Brasileira para reduzir a quantidade de óleo e sal no preparo do feijão, por exemplo, é evitar o uso de carnes salgadas no cozimento e optar por quantidades generosas de cebola, alho, louro, salsinha, cebolinha, pimenta, coentro e outros temperos naturais, bem como outros alimentos, como cenoura e vagem, que acrescentam sabor, aroma e mais nutrientes à preparação.

Ervas frescas ou secas, assim como pimenta, gergelim e outros, agregam sabor às preparações e também ajudam na redução do uso do sal. Em saladas, o uso do limão reduz a necessidade de adição de sal e óleo. Outras combinações podem ser feitas, como o louro em sopas, alecrim em carnes, salsa na macarronada, manjericão no molho de tomate e tomilho na batata.

Desde que utilizados com moderação em preparações culinárias com base em alimentos in natura ou minimamente processados, os óleos, as gorduras, o sal e o açúcar contribuem para diversificar e tornar mais saborosa a alimentação sem que fique nutricionalmente desbalanceada.

Comece a semana com uma nova receita e muito mais saúde!

 

Fonte: Ana Beatriz Magalhães / Blog da Saúde – Ministério da Saúde

Osteoporose

A osteoporose é uma doença de instalação silenciosa. O primeiro sinal pode aparecer quando ela está numa fase mais avançada e costuma ser a fratura espontânea de um osso que ficou poroso e muito fraco, a ponto de não suportar nenhum trauma ou esforço por menor que seja. As medidas de prevenção contra a osteoporose devem ser tomadas desde a infância e, especialmente, na adolescência para garantir a formação da maior massa óssea possível. Para tanto, é preciso pôr em prática três medidas básicas: ingerir cálcio, tomar sol para fixar a vitamina D no organismo e fazer exercícios físicos.#DicasdeSaúde

osteoporose

Saiba como desintoxicar o organismo depois dos excessos do final de ano

Detox_Copyright_Pixelbliss

Panetone, rabanada, maionese, doces e bebida alcóolica. Depois dos excessos das festas de final de ano, muitas pessoas decidem fazer dietas no inicio de janeiro para desintoxicar o organismo. São as chamadas Dietas de Desintoxicação ou Dietas Detox.

Mas para obter resultados positivos sem prejudicar a saúde é preciso procurar orientação de um especialista. É o que alerta o coordenador geral de Nutrição e Alimentação do Ministério da Saúde, Eduardo Fernandes. “Nós orientamos que o ideal é consultar de fato um nutricionista, porque tem muita dieta detox que limitam a questão do consumo de carnes e se você não tiver pode desenvolver carência de certos nutrientes e alguns grupos de vitaminas e tudo mais. Então, existe um risco associado a isso, principalmente quando se trabalho em um ambiente de substituição de todas as alimentações por um determinado tipo de alimento que não vai ser capas de suprir todas as necessidades. O grande risco é cair em uma dieta que não supra a sua necessidade de nutrientes, porque o que se preconiza é uma dieta saudável como um todo e com a orientação do profissional vai ser mais fácil para as pessoas terem toda a diversidade que é necessária para uma dieta saudável.”

A administradora Letícia Câmara da Silveira confessa que exagerou na alimentação no final de ano, mas conta que está disposta a desintoxicar o organismo. “No final do ano, com festas, Ceia de Natal, Reveillon, a gente sempre se excede um pouco na alimentação. Então eu me excedi com a Ceia de Natal e agora, com o inicio do ano, eu estou procurando mudar o meu hábito alimentar e estou procurando comer alimentos mais saudáveis. Pretendo marcar uma consulta com uma nutricionista para ela preparar um cardápio saudável para mim, que inclua esse tipo dieta de desintoxicação. Hoje mesmo, eu já estou procurando receitas de sucos detox para desintoxicar o meu organismo e pretendo continuar pelos próximos meses com uma dieta para desintoxicação alimentar.”

A nutricionista do Hospital Federal da Lagoa, no Rio de Janeiro, Sueli Oliveira, dá dicas para aqueles que, assim como a Letícia, pretendem desintoxicar o organismo dos excessos do final do ano. “Se a gente já está passando por uma recuperação de ter comido um pouco em excesso, muita gordura, muita fritura, normalmente no final do ano, então, é bom que a gente procure comer alimentos mais naturais nesse período pós as festas para poder ajudar o organismo a eliminar esse excesso de alimentos ruins. Priorizar alimentação à base de verduras, legumes, frutas, especialmente com casca. Aproveitar integralmente os alimentos. Mas para recuperar de uma maneira geral, bastante líquido, principalmente líquidos naturais: água de coco, sucos. Não é porque você vai consumir suco de fruta e alguma coisa mais natural, que vai ajudar a emagrecer. Na verdade é um conjunto de atitudes. A pessoa tem que ter muito cuidado na hora de optar por fazer esse tipo de dieta e sempre procurar uma orientação de nutricionista.”

Para saber mais sobre alimentação saudável basta acessar o Guia Alimentar para a População Brasileira, disponível na página do Ministério da Saúde.

Fonte: Diane Lourenço/ Agência Saúde– Ministério da Saúde

Tenha uma vida saudável, caminhando

Você conhece algum exercício mais fácil de praticar do que a caminhada? Ela não exige habilidade, é barata, pode ser feito praticamente a qualquer hora do dia, não tem restrição de idade e ainda pode ser feita dentro de casa se a pessoa tiver uma esteira. Ela melhora a circulação sanguínea, deixa o pulmão mais eficiente, combate a osteoporose, afasta a depressão, aumenta a sensação de bem-estar, diminui a sonolência, mantém o peso em equilíbrio e emagrece, além de proteger contra derrames, infartos e prevenir a diabetes. Vamos caminhar? #AtividadeFísica (Texto: ASCOM/Pró-Saúde Sede)1526584_625581227546316_2592374857940783187_n