Arquivos da categoria: Memórias do Tocantins

Nesta página, a equipe da Pró-Saúde no Tocantins compartilha suas impressões e lembranças do trabalho desenvolvido no Estado.

O desafio de Carolina: a gestão de pessoas

 

 

Seriedade profissional e simpatia são marcas de Carolina Ellwanger, advogada, mestre em direito público, professora universitária e gestora de pessoal da Pró-Saúde. A jovem profissional chegou a Palmas em 29/08/2011 para assumir um desafio: implementar a área de Gestão de Pessoas da organização social para atender 17 hospitais no Estado do Tocantins.

Coordenar uma equipe estratégica, administrando quase três mil funcionários, tão longe de casa e dos amigos não intimidou a gaúcha. “A capital das oportunidades foi a frase mais ouvida quando recebi o convite para trabalhar e morar em Palmas”, lembra Carol, como é conhecida a advogada especializada em Direito do Trabalho que procura sempre se aperfeiçoar. Ela acaba de participar em São Paulo do 2. Seminário de Gestão de Pessoas, com uma equipe do escritório de Tocantins.

“Não saberia afirmar se é a melhor terra de oportunidades, mas vejo a cidade de Palmas como a capital de um povo com poder de construir e reconstruir a sua história e o seu futuro” continua ela. “Quem conta com um povo com poder de ‘reconstrução’, só pode esperar do futuro grandes avanços e vitórias” conclui a Coordenadora de Administração de Pessoal que procura tranquilizar a equipe no processo de encerramento antecipado de contrato com o Governo do Estado.

A mudança de planos não minimiza o entusiasmo de Carol. Vai passar mais tempo com a família, que continuou em Foz do Iguaçu, tendo poucos encontros nos últimos meses, por conta das responsabilidades. “Desde que cheguei a Palmas,  fui algumas vezes para casa, mas grande parte do tempo – 256 dias – fiquei longe”, admite. Mas em compensação, ela comprovou o carinho do povo tocantinense.  “Fiquei impressionada com a recepção e com a acolhida das pessoas” relembra ela.  Assim, a grande distância e a saudade foram substituídas por novas amizades e pela descoberta dos locais aprazíveis que a capital do Tocantins oferece aos turistas e novos moradores. “Ao deixar o Tocantins, sentirei saudade das caminhadas no Parque Cesamar e das pessoas que tão bem me acolheram”, justifica.

Ficam os registros das fotos, dos poucos momentos de lazer na capital.

 

Confira o Currículo da Carol no Linkedin e os trabalhos que ela publicou.

 

Marcus Wächter: experiência e paixão pela gestão hospitalar

O gaúcho Marcus Henrique Wächter, Diretor Operacional da Pró-Saúde no Tocantins, é formado em Administração de Empresas, pós-graduado em Administração Hospitalar, Administração e Planejamento para Docentes e Mestre em Saúde Pública com ênfase em epidemiologia. 

Com o peso desse currículo, Marcus já dirigiu hospitais de médio e grande porte no Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Bahia, São Paulo e até em Angola, na África. De 1995 a 2002, ele coordenou o projeto dos Hospitais Comunitários do Estado do Tocantins, liderando a assessoria técnica à área de saúde do Governo Estadual, como responsável pela coordenação da gerência de 15 hospitais. A experiência pioneira e bem avaliada pela população tocantinense credenciou Marcus a retornar a Palmas em 2011, a convite da Pró-Saúde, quando a organização social foi credenciada para cuidar do novo contrato de gestão de 17 hospitais estaduais.

Nos últimos anos, Marcus vinha se dedicando ao estudo das modalidades de Parcerias Público e Privadas (PPPs), tendo participado do desenvolvimento de um projeto para a ESSALUD, em Lima, capital peruana. Mas suspendeu as atividades para retornar ao estado que conheceu há 22 anos. “O ano era 1990 e o mês agosto”, relembra Marcus que, junto com a mulher e o filho, decidiu conhecer o mais novo estado brasileiro, onde morava o irmão Walter, engenheiro civil. “Viajamos de Porto Nacional a Palmas pelos desvios, pois a maioria dos trechos da estrada ainda estava sendo asfaltados”, lembra. “Palmas era um canteiro de obras só. O único prédio público que havia era o da Secretaria de Obras. Os demais, inclusive o Palácio do Governo, estavam em construção. Lembro bem que o Banco Basa funcionava em um trailer” acrescenta. 

 Surpresa também para a família Wächter, que deixava o frio Rio Grande do Sul, foi o clima. “Essa foto (abaixo) é do Vini se refrescando em uma caixa térmica” explica Marcus, sorridente, ao explicar o que faz um bebê dentro do isopor, na casa do tio, onde só havia gente grande.

Retornando ao Tocantins dois anos depois, o avanço da cidade e crescimento no número de habitantes impressionaram o administrador. “Meu irmão já residia em Palmas e nos mostrou a cidade e seus projetos, nos encantando com tamanho empreendedorismo” admite, mostrando o registro (abaixo) da visita a uma Palmas em obras, antes da construção da Usina Luiz Eduardo Magalhães e da formação do lago.

O menino Marcus Vinícius, que aparece na foto acima com o pai em uma das obras tocadas pelo tio, acabou estudando Medicina e passou o mês de abril estagiando no HGPP. Ele e as duas irmãs vieram a Palmas diversas vezes para matar as saudades do pai, que não pôde trazer a família. A esposa do Marcus, que é advogada, vem todos os meses, se dividindo entre a capital tocantinense e o Rio Grande do Sul. “A saudade é grande, mas a alegria e satisfação de trabalhar num projeto desta magnitude me anima a prosseguir”, admite.

Nas poucas horas livres, o passatempo acabou se integrando à paisagem, como explica Marcus: “Gosto muito de pescar. A proximidade com o lago e a piscosidade são os ingredientes ideais”. E um lugar especial? “A praia da Graciosa” declara, sem titubear, lembrando que “todo o ano, no mês de julho, era montada uma estrutura muito grande na margem oposta do Rio Tocantins, tão logo o rio baixasse e deixasse desnudar as areias brancas da praia”.

 

 

 

Enquanto trabalha junto à SESAU na transição da gestão dos 17 hospitais para o Governo do Estado, Marcus se despede dos amigos e dos colegas. Admite que vai sentir saudades. “As pessoas aqui do Estado são muito hospitaleiras e recebem a todos de uma forma especial” confirma. 

Para Marcus, o estado está situado numa posição privilegiada no Brasil e a união entre saúde e educação vem trazendo mudanças para as cidades que, segundo ele, “poderão incrementar ainda mais a economia, uma vez que Palmas já é um pólo para os vizinhos, oferecendo muitas oportunidades de negócios”. E destaca outro pioneirismo: na área da saúde, foi o primeiro estado brasileiro a aprovar lei de parceria com Organizações Sociais ainda no ano de 1995.

 A foto de 1998, em Palmas, registra uma confraternização de colaboradores da Pró-Saúde. “Seis desses profissionais retornaram ao projeto e hoje compõem o grupo de 2.927 contratados diretamente pela Pró-Saúde no Estado”, explica Marcus.

[prettyfilelink src=”http://prosaudetocantins.org/wp-content/uploads/2012/06/Currículo-Marcus-Henrique-Wächter.pdf” type=”pdf”]Currículo-Marcus-Henrique-Wächter[/prettyfilelink]

Marcus está no Facebook.