Arquivo da tag: gestão hospitalar

Pró-Saúde divulga relatório de prestação de contas de setembro de 2012

Está disponível o Relatório de Desempenho de 09/2012 relativo ao Contrato de Gerenciamento SESAU e Pró-Saúde TO com o Governo de Tocantins para a gestão compartilhada de 17 hospitais públicos estaduais.

Confira aqui a prestação de contas de setembro: http://pt.scribd.com/doc/110335671

Comprometida com a transparência, regularmente a Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar torna públicas suas prestações de contas. 

Aqui você confere as prestações de contas de meses anteriores.

 

 

 

Pró-Saúde inova em Goiás: hospital implanta protocolo de cirurgia segura

O Centro Cirúrgico da O.S. Pró-Saúde/Hospital de Urgência da Região Sudoeste (HURSO), gerenciado pela Pró-Saúde em Santa Helena de Goiás, iniciou neste mês a implantação do Protocolo de Cirurgia Segura, proposto pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Segundo a enfermeira, coordenadora do bloco cirúrgico, Lilian Jabur, o check-list de cirurgia segura tem como objetivo a conferência antes, durante e após os procedimentos de cirurgia.

“Na entrada do centro cirúrgico, na sala antes da indução anestésica e pela equipe cirúrgica antes do procedimento, marcação da lateralidade pelo cirurgião antes de entrar no centro cirúrgico, ainda na unidade de internação, consentimento anestésico e de procedimento cirúrgico e amputação assinado pelo usuário ou familiar, contagem de compressas e instrumentais antes, durante e no final do procedimento, e ainda visita pré-cirúrgica da enfermagem e anestesia. Tudo isto visando a segurança dos usuários e a minimização dos riscos inerentes ao processo”, explica Lilian.

O protocolo foi elaborado com base na Lista de Verificação de Segurança Cirúrgica proposta pela OMS, dentro do segundo desafio global para a segurança do paciente: “Cirurgias Seguras Salvam Vidas”, com a proposta de reduzir complicações nos cuidados cirúrgicos que são causas de morte e invalidez em todo o mundo.

O check-list segue uma cronologia de cuidados que envolvem a conferência da equipe de operação, nome completo do usuário e sala de cirurgia. Todos os métodos necessários para impedir danos na administração de anestésicos e minimização da dor ao paciente também constam no protocolo, além da preparação da equipe para intercorrências que envolvam a função respiratória, perda sanguínea, reação adversa a medicamentos ou alérgica.

De acordo com o portal “Cirurgia Segura”, a eficácia do check-list é inegável: reduz em 37% as complicações peri-operatórias (que ocorrem durante e depois da operação) e em 42% a mortalidade decorrente de complicações da cirurgia, isso significa 420 mil mortes a menos por ano no mundo.

 Fonte: assessoria de comunicação do HURSO

Você sabia? Pró-Saúde integra rede de hospitais “verdes”

Uma rede de hospitais “saudáveis e verdes” está sendo construída no Brasil, segundo a reportagem do jornal O Estado de São Paulo, publicada no domingo (07/10). A iniciativa da organização internacional First Care Without Harm (Saúde sem Dano) visa reunir as instituições que se comprometem a tratar resíduos, reduzir consumo de água e energia, substituir substâncias químicas perigosas e construir prédios sustentáveis, entre outras ações.

 Vinte e cinco hospitais, entre eles o Sírio-Libanês, e redes de assistência, como Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), Amil, Santa Casa de São Paulo e Pró-Saúde aderiram à rede, fundada no mês passado. As instituições se comprometem a cumprir metas sustentáveis. A expectativa é alcançar 700 dos 7 mil hospitais brasileiros em dois anos.
 
 
A Pró-Saúde tem compromisso com a sustentabilidade, o que aproximou a organização filantrópica de uma comissão de hospitais britânicos. E  tem  recebido diversos prêmios em reconhecimento pelas boas práticas adotadas em diversos hospitais. Abaixo, você lê outras notícias sobre a Pró-Saúde e a sustentabilidade:
 
 
 

Pró-Saúde divulga relatório de prestação de contas de agosto de 2012

Está disponível o Relatório de Desempenho de 08/2012 relativo ao Contrato de Gerenciamento SESAU e Pró-Saúde TO com o Governo de Tocantins para a gestão compartilhada de 17 hospitais públicos estaduais.

Confira aqui a prestação de contas de agosto: http://pt.scribd.com/doc/108711557

Comprometida com a transparência, regularmente a Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar torna públicas suas prestações de contas. 

Aqui você confere as prestações de contas de meses anteriores.

 

Mais prêmios para a gestão hospitalar da Pró-Saúde no Paraná

O Hospital Municipal de Araucária, administrado pela Pró-Saúde no Paraná, acaba de receber mais um reconhecimento por seu compromisso com a sustentabilidade. O HMA foi  um dos vencedores da 19ª edição do Prêmio Expressão de Ecologia, a maior premiação ambiental da região Sul do Brasil. E outra boa notícia: o hospital conquistou o melhor projeto na categoria Gestão Ambiental, com o projeto Pensar ambiental: benefícios para um desenvolvimento saudável.

Este projeto relata o trabalho realizado no HMA com o objetivo de identificar os problemas ambientais inerentes ao negócio hospitalar e implantar ações voltadas à mitigação destes riscos, além de conscientizar seus stakeholders sobre a importância deste pensamento ambiental. Com este projeto, o HMA recebeu pela primeira vez o Troféu Onda Verde, entregue ao diretor operacional regional da Pró-Saúde, Marcelo Bittencourt,(esquerda da foto) e ao consultor em gestão ambiental, Hugo Weber, durante o Fórum de Gestão Sustentável 2012, realizado em Florianópolis, em 21 de setembro último.

Além da conquista do prêmio, o HMA também recebeu o certificado de empresa destaque na categoria “Questões do Consumidor” da Pesquisa Gestão Sustentável, premiação paralela que reconhece as empresas por suas práticas de gestão. 

Fonte: Portal Femipa

Exemplo no Pará: Hospital Regional de Santarém promove jornada de trabalhos científicos

O Hospital Regional do Baixo Amazonas, administrado pela Pró-Saúde, promoveu a I Jornada de Trabalhos Acadêmicos e Científicos do HRBA, apresentando os resultados das pesquisas científicas e trabalhos acadêmicos desenvolvidos em 2011 e 2012, em parceria com as instituições de ensino paraenses UEPA, IESPES e FIT.

“Essa jornada demonstra os resultados do Hospital Regional de Santarém como um ícone na transmissão de conhecimento e de pesquisa científica, e mostra claramente que a implantação da Residência Médica Multidisciplinar, no próximo ano, tornará o HRBA uma referência na formação de profissionais e no ensino e pesquisa para o Estado do Pará e Região Norte do Brasil”, afirmou Dr. Fábio Tozzi, Coordenador de Residência Médica da Universidade Estadual do Pará.

Daniela Mengon, Diretora de Enfermagem do HRBA, explica a importância do evento. “É emocionante vermos a evolução do nosso hospital e colhermos os resultados de todos os investimentos que estão sendo realizados na qualidade da assistência e qualificação de nossos profissionais, residentes e acadêmicos. Com certeza, essa é apenas a primeira jornada de muitas que virão”, avaliou Daniela.

Para o Diretor Geral, Hebert Moreschi, hoje o HRBA já é uma referência em formação de profissionais no Estado do Pará. “A I Jornada de Trabalhos Acadêmicos e Científicos do HRBA é um exemplo claro do conhecimento que está sendo gerado dentro no nosso hospital e que estamos compartilhando com outras entidades. Dessa forma, além de prestar assistência de média e alta complexidade, descentralizando dos grandes centros, estamos formando excelentes profissionais para atuarem em nossa região, e a maior beneficiada é a População do Oeste do Pará”, concluiu Hebert

Confira a íntegra do texto no Blog do HRBA.

Profissionalismo e capacitação, a receita Pró-Saúde de sucesso

 
A Pró-Saúde participou do Fórum Nordeste de Gestão em Saúde, onde o Diretor Operacional Duberney Rocha Marco apresentou “Soluçōes para Maior Resolutividade e Economicidade para Entidades Filantrópicas”. Duberney fez uma explanação sobre o cenário de atuação das filantrópicas na saúde pública, abordou as principais dificuldades enfrentadas pelo segmento, explicou como as entidades privadas com fins lucrativos atuam nesse mercado e apresentou experiências de gestão bem sucedidas da Pró-Saúde. Acompanhe, abaixo, como foi a participação da Pró-Saúde no painel voltado às entidades filantrópicas.

O que significa para a Pró-Saúde participar de um painel voltado às filantrópicas?

Duberney – Pela experiência que a Pró-Saúde adquiriu em 45 anos, pela amplitude de sua atuação em todo o país e pelo foco bem definido em gestão hospitalar, apresentar um painel como este significa ampliar parcerias, oferecer e trocar experiências com provedores das Santas Casas, com outras entidades, federações e diversas associações do setor de Saúde.

A Pró-Saúde sempre participa dos eventos, porque nossa presença é um referencial para muitas entidades filantrópicas que querem crescer e melhorar suas estruturas de gestão. Nossa expertise nos permite repassar conhecimentos e colaborar com essas entidades, que aprendem que é possível fazer diferente, até mesmo nos rincões mais longínquos, naquelas situações nas quais as dificuldades são mais prementes. E isto nos dá credibilidade!

Veja, nós também atuamos na Região Norte, onde há circunstâncias bem peculiares e extremamente complicadas. E a Pró-Saúde mostra que é possível inovar e empreender. A cada ano que passa, as instituições filantrópicas aumentam o entendimento de que é possível fazer diferente, e a gente acaba sendo chamado a participar dos eventos.

O que mais a Pró-Saúde tem a oferecer aos seus parceiros nesses eventos?

Duberney – Como uma instituição especializada em gestão hospitalar, a Pró-Saúde tem contribuído muito para o fortalecimento de soluções em questões fundamentais que afetam as filantrópicas prestadoras de serviço para o Sistema Único de Saúde (SUS). Por exemplo, alternativas e oportunidades à falta de recursos para manter e ampliar a crescente demanda da saúde pública e melhorar os processos de gestão.

A presença da Pró-Saúde nesses eventos é muito forte, porque as pessoas sempre nos procuram para conhecer as soluções que damos aos nossos processos. Muitos acreditam que temos soluções prontas, mas não é fácil. A expertise que adquirimos é fruto de muito trabalho, profissionalismo e investimentos em capacitação.

Há várias instituições privadas que trabalham para o SUS e a gente observa que as dificuldades enfrentadas por elas são muito semelhantes às das filantrópicas, as questões são mais ou menos as mesmas. A forma de tratar essas questões é que faz a diferença. As instituições privadas encaram os desafios com o olhar de negócio; e as filantrópicas tentem a não tratar isso como negócio.

Então, acho que a Pró-Saúde contribui, como neste painel que apresentamos, demonstrando que é possível ser filantrópico e ter resultados. Mas é imprescindível que haja atuação profissional na gestão de uma entidade filantrópica.

São muitos os obstáculos e desafios para as administrações filantrópicas?

Duberney – O maior obstáculo é, sem dúvida, enfrentar a falta de recursos. Numa conversa com a maioria dos provedores presentes neste Fórum, você vai escutar: eu tenho um passivo muito grande, devo muito, eu ajustei as minhas contas e fiquei devendo muito, tenho dificuldades para investir. Por isso, eu diria que o maior desafio são essas entidades compreenderem que o profissionalismo na gestão e o investimento em capacitação trazem soluções, fazem efetivamente a diferença.

E como fazer isso?

Duberney – Como já dissemos acima, acreditamos que o caminho é encarar as coisas de forma diferente, deixar de fazer do mesmo jeito, quebrar paradigmas, buscar novos pontos de vista, firmar parcerias.

Qual é o diferencial da Pró-Saúde na gestão hospitalar no Nordeste?

Duberney – A Pró-Saúde está presente no Nordeste há muitos anos. Esta é uma região onde as estruturas públicas são muito grandes, o Estado é muito presente devido à carência da população, ao ainda baixo poder aquisitivo. Ou seja, há muitos clientes do SUS e isso faz com que outras instituições não invistam na região. Claro que há polos de excelência, como Salvador, Recife, Fortaleza, apenas para citar alguns exemplos. São locais que têm estruturas magníficas, mas que atendem outro nicho de mercado. Então, quem atende o cliente do SUS? O hospital público!

Nosso grande diferencial, além da experiência de 45 anos no ramo, está no fato de que a Pró-Saúde implanta uma estrutura completa, seja nas instituições públicas ou privadas, com métodos, processos bem definidos, tudo modelado. Isso permite às instituições daqui trabalharem com padrões de gestão de alto nível. Hoje, temos vários hospitais públicos sendo acreditados no Nordeste e muitos deles têm a Pró-Saúde como referência. Isso porque sempre fomos líderes e pioneiros. Dessa forma, os primeiros hospitais públicos no Nordeste foram acreditados pela Pró-Saúde.

 

Confira: Pró-Saúde apresenta painel em Fórum de Saúde na Bahia

“Soluçōes para Maior Resolutividade e Economicidade para Entidades Filantrópicas”. Esse foi o tema apresentado nesta quinta-feira (13/09) pelo diretor Operacional da Pró-Saúde, Duberney Rocha Marco, durante painel no Fórum Nordeste de Gestão em Saúde, que está sendo realizado no Centro de Convenções da Bahia, em Salvador (BA), no período de 12 a 14 de setembro. Também participam do Fórum o diretor administrativo da Pró-Saúde na Bahia, Carlos Alberto de Lima Pinto; o consultor Hailton Raymundo Santos; e o gerente de Novos Negócios, Evandro Octávio Antunes.

Com o tema central “Tendências e Perspectivas para a Saúde no Nordeste”, o Fórum reúne profissionais de diversos setores da área de todas as regiões do país. O objetivo é promover o encontro dos segmentos público, privado e do Terceiro Setor em painéis que estão discutindo as atribuições de cada um na assistência à saúde da população, além de propiciar a troca de conhecimento e experiências em saúde pública.

Duberney Rocha Marco fez, em sua palestra, uma explanação geral sobre o cenário de atuação das instituições filantrópicas na área da saúde pública. Falou das principais dificuldades enfrentadas pelo segmento das filantrópicas, de como as entidades privadas com fins lucrativos atuam nesse mercado e apresentou experiências de gestão bem sucedidas desenvolvidas pela Pró-Saúde nas diversas unidades que administra no país.

Segundo o diretor operacional da Pró-Saúde, os problemas enfrentados por uma  empresa privada que presta serviços para o SUS são muito semelhantes aos de uma entidade filantrópica. “Isso mostra que é possível ser filantrópico e ter resultados importantes. Não é fácil, é preciso muito trabalho, profissionalismo e capacitação. É importante que o gestor entenda que o investimento na profissionalização é o diferencial que vai fortalecer a sua gestão e trazer os resultados efetivos”, destacou Duberney.

Nas fotos acima, a explanação de Duberney  e o Diretor Operacional em companhia do diretor administrativo da Pró-Saúde na Bahia, Carlos Alberto de Lima Pinto, do consultor Hailton Raymundo Santos, do gerente de Novos Negócios, Evandro Octávio Antunes e de Hamilton, Evandro e Maurício Dias, presidente da Federação das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas do Estado da Bahia (FESFBA)

 

Vale conferir: compromisso com a sustentabilidade aproxima hospitais britânicos e unidades administradas pela Pró-Saúde

Diretores e colaboradores da Pró-Saúde receberam na sede da organização social, no dia 11 de setembro, uma comitiva britânica composta por representantes de hospitais e consultorias com programas voltados para a sustentabilidade hospitalar, além de representantes do Consulado Britânico. O grupo veio ao Brasil conhecer iniciativas sustentáveis, incluindo as realizadas pelos hospitais administrados pela Pró-Saúde.

Após a exibição de um vídeo institucional sobre a Pró-Saúde, foram apresentadas as ações de sustentabilidade e resultados obtidos tanto na sede, no âmbito do programa de saúde ambiental, quanto em três unidades: Hospital Municipal de Araucária, no Paraná, Hospital Municipal Padre Germano Lauck, em Foz do Iguaçu e Hospital Dr. Luiz Camargo da Fonseca e Silva, em Cubatão, SP.

O encontro ocorreu no contexto de aproximação entre Reino Unido e Brasil. Em fevereiro deste ano, um grupo integrado por representantes de cinco hospitais brasileiros – dentre eles, os hospitais de Araucária e Cubatão – visitou o Reino Unido com o intuito de conhecer novas experiências e boas práticas em gestão hospitalar sustentável, abordando aspectos ambientais, econômicos e sociais. A equipe voltou inspirada, admitiu o Superintendente da Pró-Saúde, Paulo Roberto Segatelli Camara, nas boas-vindas ao grupo.

Magdalena Golebiewska, do NHS Trust Gloucestershire anotou algumas das práticas apresentadas, que pretende implantar em seu hospital: o reaproveitamento do óleo de cozinha para produção de sabão e geração de renda voltada a projetos sustentáveis e oficinas com materais recicláveis para pacientes e funcionários.  

Sonia Roschnik, representante da Centre for Sustainable Healthcare,  que recepcionou os brasileiros na Inglaterra, admitiu ter ficado impressionada com a apresentação e com o avanço nas ações realizadas de fevereiro para cá. Para ela, a integração dos conceitos é consistente  e “a sustentabilidade não é apenas mais um assunto e sim parte da gestão dos hospitais administrados pela Pró-Saúde“.

“Nesses mais de 40 anos de atividade, sempre soubemos da importância de preservar e cuidar. E hoje temos total consciência do nosso papel na questão da sustentabilidade” considerou Paulo Roberto Mergulhão, diretor presidente da Pró-Saúde. E completou: “Não é somente uma ação pontual e sim algo que faz parte das nossas vidas, das atividades diárias da nossa empresa. E certamente será um legado que deixaremos para nossas gerações futuras”.

 

Prevenção em Goiás: ação no trânsito orientou mais de 400 condutores

O Hospital de Urgência da Região Sudoeste (HURSO), administrado pela Pró-Saúde em Santa Helena de Goiás, deu mais um bom exemplo de ação preventiva de saúde: no último dia 06 de setembro foi realizada outra mobilização da campanha  ‘Viajando com Segurança’.

Voluntários distribuíram materiais educativos para mais de 400 condutores, com apoio do Corpo de Bombeiros, na avenida que dá  acesso à GO-164. De acordo com Marcella Cunha, membro da comissão de humanização e responsável pela realização deste evento, o objetivo da campanha foi cumprido.

“Obtivemos êxito na ação, orientamos cada motorista que se dispôs a participar do projeto, levando dicas sobre direção defensiva e como portar-se em várias situações que podem ocorrer durante a viagem”, conta Marcella.

Uma iniciativa para ser compartilhada!