Arquivo da tag: humanização

Humanização: serviço de cuidados paliativos de hospital no interior paulista ganha destaque internacional

Prestes a completar três anos, o serviço de Cuidados Paliativos “Clara Luz” do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo, em Judiaí, São Paulo, recebeu destaque internacional. A médica responsável pelo atendimento, Dra. Michelle Uchida Miwa, recebeu do St. Chistopher’s Hospice, em Londres, uma bolsa de estudos para trocar experiências com instituições referências no atendimento.

Foram 20 dias participando de aulas específicas e treinamentos práticos.Entre os 19 países participantes, apenas cinco bolsistas eram internacionais e Michelle representou o Brasil. “Conquistamos o reconhecimento devido à humanização do nosso trabalho que só foi possível graças ao empenho de todos os profissionais envolvidos, visando qualidade de vida sem perder o caráter científico”, explica a médica, que ainda recebeu convite para escrever um artigo para o site E-hospice.

Desde a implantação no São Vicente, foram atendidos 811 pacientes. Atualmente são 376 em atendimento domiciliar, sendo reavaliados pela equipe constantemente. A média de internação hospitalar é de 15 dias, com taxa de ocupação de 98% dos 6 leitos disponíveis.

Vale conferir a íntegra da matéria no E-hospice. Clique aqui.

 

Exemplo de gestão humanizada: voluntários de hospital no interior paulista orientam famílias de pacientes

Os trinta e cinco voluntários que atuam diariamente no Hospital de Caridade São Vicente de Paulo, administrado pela Pró-Saúde em Jundiaí, São Paulo, já implantaram a primeira ação do programa “Visita Vicente” . O objetivo é oferecer atendimento humanizado aos visitantes da instituição.

“O voluntariado auxilia na recepção dos familiares e condução até o leito, desta forma as pessoas conseguem localizar os clientes internados com maior facilidade”, explica Izabelle de Oliveira, Gestora do Serviço Social do Hospital São Vicente.

O atendimento é feito diariamente das 16 às 18 e das 18 às 20 horas, inclusive aos finais de semana. “O trabalho junto com a equipe de voluntariado superou minhas expectativas”, relata Cyzinha Toniolo, Voluntária Coordenadora.

 O grupo de voluntariado abriu inscrições para o novo programa que será implantado em 2013 pelo e-mail voluntariadosaovicente@hotmail.com ou pelo telefone 4583-8225, às segundas e quintas.

Uma iniciativa que pode inspirar outros grupos de voluntários em todo o país!

 

Relação médico e paciente: uma dor pra se curar

A relação entre médico e paciente, apesar de sua complexidade e das influências externas – tais como o excesso de informações atualmente disponíveis sobre a saúde – pode ser aperfeiçoada. E a aproximação humana é um caminho. É o que propõe o médico Cesar Bortoluzo em seu artigo.

“O paciente, ou cliente, espera do médico que lhe apresente objetivamente uma causa para seu desconforto e uma solução concreta, material e, de preferência, simples, que lhe doa menos do que a doença. Nessa troca de informações e impressões entre os dois, há várias barreiras a criar possibilidades de desencontros e desfechos desagradáveis”, afirma.

Para o especialista em urologia e gestão de sistemas de saúde, devem ser consideradas as diferenças culturais que dificultam a compreensão da linguagem técnica. “Aprender a ‘língua do povo’ é mais fácil para o médico que, apesar de vir geralmente das elites culturais e econômicas, pode e deve se aproximar” defende Dr. Cesar. “Fazer o paciente e sua família entenderem a doença e o tratamento é o mais difícil, porque a escola o ensina a falar e pensar tecnicamente, para ter prestígio entre os pares, mais do que saber se comunicar com seu objeto de atenção, o paciente”, admite ele.

“Trabalhar a humanização do atendimento, o acolhimento dos pacientes, a receptividade às queixas do doente e da família e o conforto físico decente fazem parte de todos os processos de atenção à saúde, seja nos hospitais ou nos ambulatórios de atenção primária”, afirma.

Segundo Bortoluzo, “há condições objetivas a serem criadas, mantidas e aperfeiçoadas. Há, acima de tudo, a disposição de servir e a atitude de conseguir mais do que a cura, muitas vezes impossível, chegar ao maior objetivo da arte médica.”

Leia o artigo na íntegra: [prettyfilelink src=”http://prosaudetocantins.org/wp-content/uploads/2012/08/ARTIGO-Cesar-Bortoluzo.pdf” type=”pdf”]ARTIGO – Cesar Bortoluzo[/prettyfilelink]

César Bortoluzo, Médico Urologista graduado pela Faculdade de Medicina da USP, Especialista em Cirurgia Geral pelo Hospital das Clínicas-FMUSP, Especialista em Urologia pela Sociedade Brasileira de Urologia e Especialista em Gestão de Sistemas de Saúde pela Fundação Getúlio Varga (MBA) é Coordenador Médico e Responsável Técnico pelo Escritório Central da Pró-Saúde Tocantins.

 

Você viu? Atendimento da Pró-Saúde em Cubatão conquista 97% de satisfação

O Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) do Hospital Municipal de Cubatão, administrado pela Pró-Saúde, divulgou os números da Pesquisa de Satisfação dos Clientes em relação aos serviços oferecidos na instituição, durante o mês de julho de 2012. Foram realizadas buscas ativa com os pacientes internados, coletando opiniões sobre atendimento assistencial médico, enfermagem, serviços de hotelaria – que englobam higienização, nutrição e manutenção- e, principalmente, humanização no atendimento.
 
As pesquisas são realizadas diariamente por colaboradores do SAC que visitam todos os clientes. Neste mês, o índice de satisfação dos serviços prestados ficou em 97%.
 
Reiterando o modelo de gestão pautado na transparência das ações, os dados são divulgados mensalmente com o objetivo de mostrar aos colaboradores, equipes médicas e a própria população que a instituição tem  como premissa desenvolver um trabalho profissional, consciente, seguro e de alta qualidade para a população de Cubatão. Prova disso são os títulos e selos recebidos pelo HMC como Acreditação Nível 1 da ONA, Hospital Amigo da Criança, Mercury Free, Hospital Best, entre outros.
 
Confira outras informações sobre o hospital, visitando o portal aqui do HMC.
 
 

Você viu? Pró-Saúde inova com “Horário Kids” em Cubatão

 

Crianças a partir de três anos podem visitar as mamães na Maternidade do Hospital Muncipal de Cubatão, administrado pela Pró-Saúde em parceria com a prefeitura da cidade paulista. Reconhecido como Hospital Amigo da Criança, o HMC coleciona acreditações e prêmios pelo bom serviço prestado à população.

A iniciativa da equipe de humanização agradou às famílias, como relata a matéria abaixo, produzida pela equipe de comunicação do HMC: 

Desde o  dia 02 de agosto, o Hospital Municipal de Cubatão iniciou o projeto Horário Kids, em caráter experimental, permitindo que familiares, a partir de 3 anos, possam visitar o recém-nascido e a mãe, com autorização do médico, durante o período de internação. O encontro ocorre numa sala específica da maternidade. A visita pode ser diária, das 16h10 às 17h, e a criança deve vir acompanhada de um responsável.

A iniciativa partiu do Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) da instituição e visa minimizar a ansiedade de mães e filhos, além de aumentar a prática do acolhimento. “A visita de crianças em ambiente hospitalar não é recomendada, mas lançamos o projeto porque a maternidade não é uma enfermidade e o espaço do encontro é uma área administrativa do hospital ” conta, a presidente do GTH, Eliana Tavares.

O primeiro visitante, João Vitor de 9 anos, estudante do 4º ano, estava orgulhoso ao lado da mãe, Claudia Carolina Ferreira, 28, que amamentava Maria Julia. “Eu estava ansioso e curioso, queria tirar uma dúvida, meu pai falou que a Julia tinha “cara de joelho”. Quando perguntado se isso era verdade, ele respondeu rindo: “Não, ela é bonita”. Quando perguntaram se omenino estava mais curioso ou com saudades da mamãe, a resposta foi rápida: “Saudades da minha mãe!”.

Julia Vitoria, seis anos, não desgrudava da mãe Camila Jesus Silva de Oliveira, 23, enquanto o pai segurava nos braços a pequena Gabrielle Camile. Ela agradeceu a iniciativa: “Vocês nem sabem como eu estou feliz; é a primeira vez que deixei a Julia sozinha. Estava com saudades e preocupada”, admitiu a mamãe.

Gabrielle também teve dúvidas quando quiseram saber  se estava mais curiosa para conhecer a irmã ou com saudades da mãe. A resposta foi a mesma: “Saudades da mamãe!”. E todos riram.

Boa ideia para inspirar outras equipes! 

Visite aqui o portal do HMC. Também vale ler aqui como o Hospital de Cubatão comemorou a semana do aleitamento, com gincana para as mamães.