Arquivo da tag: prevenção

Bom exemplo: HURSO promove campanha para conscientização no Carnaval

OLYMPUS DIGITAL CAMERA 

A O.S. Pró-Saúde/Hospital de Urgência da Região Sudoeste promoveu uma ação no dia 08 de fevereiro com o intuito de orientar a população de Santa Helena de Goiás (GO) sobre a importância do uso de preservativos como medida preventiva contra a transmissão do vírus HIV, agente causador da AIDS.

Foram mais de mil kits de preservativos, lubrificantes e panfletos entregues aos cidadãos, fornecidos pela Secretaria Estadual de Saúde do Governo de Goiás (SES/GO), com a temática: Camisinha – Use sempre que o clima esquentar! e Se beber não dirija!.

“Tradicionalmente as campanhas na época do carnaval são voltadas principalmente para a conscientização do uso da camisinha, mas não podemos deixar de alertar sobre o alto índice de acidentes de trânsito neste período”, afirma Carla Borges, Diretora Assistencial do HURSO.

De acordo com Magda Ferreira, 42, mãe de dois filhos adolescentes, as campanhas sobre preservativos abrem espaço para que os pais consigam orientar seus filhos sem que o assunto seja um tabu. “Eu oriento meus filhos, mas essas campanhas ajudam a informação ter uma amplitude maior orientando também aos que não tem uma conversa aberta em casa”, conta.

Números

De acordo com a SES/GO, o primeiro caso de Aids no estado de Goiás foi diagnosticado em 1984, em um indivíduo do sexo masculino, residente no município de Goiânia. A partir deste ano até 30 de junho de 2012, o Estado registrou no Sistema de Informação de Agravos de Notificação – SINAN, 11.253 casos de Aids em indivíduos residentes no estado de Goiás, sendo 11.050 ( 98,2%) em adultos maiores de 13 anos de idade e 203 (1,8%) em crianças menores de 13 anos. Quanto à distribuição dos casos segundo sexo, observou-se que 67,5% eram homens e 32,5% mulheres.

(Fonte: Assessoria de Imprensa HURSO)

Projeto Araguaína vai promover campanhas mensais contra o diabetes

A Campanha 1 Minuto pela Vida realizou 2.508 testes de glicemia durante uma semana nas três unidades municipais administradas pela Pró-Saúde por meio do Projeto Araguaína. Foram identificados 22 casos diagnosticados de Diabetes Tipo 1, sendo três em crianças.

 O sucesso da campanha levou a diretora geral do projeto, Alba Muniz, a torná-la periódica. “Nossa intenção é promover uma ação mensal de janeiro a dezembro de 2013, focada principalmente nas crianças”, diz ela, justificando que “longevidade e qualidade de vida devem ser trabalhos desde cedo.

Resultados – A Campanha 1 Minuto pela Vida realizou na UPA 1.271  testes, sendo 913 em adultos e 358 em crianças. Uma pessoa que não sabia que tinha a doença  do Tipo 1 foi diagnosticada, tendo 13 casos confirmados e encaminhados para as unidades básicas de saúde para início de tratamento. Apenas um casos de diabetes Tipo 2  foi confirmado e encaminhado para a unidade básica de saúde para tratamento.

No Ambulatório de Especialidades foram realizados 433 testes realizados, sendo 322 em adultos) e 111 em crianças. Três casos de diabetes Tipo 1 foram diagnosticados, confirmados e encaminhados para as unidades básicas de saúde para tratamento. Não foi confirmado nenhum caso do Tipo 2.

No Hospital Municipal de Araguaína,  foram realizados 804 testes, 514 testes em adultos e  290 em crianças.  Seis casos confirmados e encaminhados para as unidades básicas de saúde para inicio de tratamento. E nenhuma ocorrência de diabetes Tipo 2. 

 

 

 

 

 

 

Onde encontrar materiais para campanha de prevenção

Os portais do Ministério da Saúde  e da Secretaria de Saúde do Estado do Tocantins oferecem diversos materiais e informações úteis para as campanhas promovidas pelas unidades administradas pela Pro-Saúde. São mensagens, cartazes e folhetos produzidos por especialistas em comunicação e testados para conseguir maior adesão do público às mensagens. Como a campanha nacional de combate à dengue de 2012/2013.

O cartaz acima é um dos materiais disponíveis no site do Ministério da Saúde, na área reservada para Campanhas Publicitárias. Ele traz mensagem mais direta à população buscando promover a mudança de comportamento e alertar sobre a gravidade da doença para que as pessoas eliminem os criadouros do mosquito em suas casas. O objetivo é mobilizar a população a praticar medidas simples de prevenção contra o mosquito Aedes aegypti.

Utilizar materiais dos sites oficiais poupa tempo das Comissões de Humanização que podem adaptar o conteúdo à realidade local. Ao seguir a mesma linha de comunicação é mantida, aos olhos do público,  a sintonia com as campanhas estaduais e nacionais. Vale conferir!

 

Boa iniciativa: HURSO faz ação contra a dengue

A O.S. Pró-Saúde/Hospital de Urgência da Região Sudoeste (HURSO), em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde do Governo de Goiás, fazem nesta quinta-feira, 29 de novembro, uma ação de orientação para o combate da Dengue, com o tema: “Faça chuva ou faça sol, o combate à dengue não pode parar”.

Dados do novo Boletim Epidemiológico da Dengue apresentados pelo Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, apontam redução de 64% de casos de dengue confirmados neste ano em comparação a 2011. O número de óbitos pela doença no país também apresentou queda, de 49% em comparação com o mesmo período do ano passado. De janeiro até a primeira semana de novembro, foram confirmadas 247 mortes, sendo que no mesmo período de 2011 foram 481 casos. Também foi anunciada a campanha de Mobilização Nacional e os dados do Levantamento Rápido de Índice Aedes aegypti (LIRAa).

Segundo Reginaldo Biffe, Diretor Geral do HURSO, a redução de casos de dengue e dos óbitos denotam a importância da execução de ações voltadas a prevenção e conscientização da sociedade. “Prevenir é o melhor caminho”, conclui Biffe.

A ação começou no centro comercial de Santa Helena de Goiás (GO) a partir das 09h com a entrega de material informativo (panfleto, bottons e adesivos) à sociedade.

 

Boa notícia: mortalidade feminina no Brasil cai 12% nos últimos 10 anos

Doenças como Acidente Vascular Cerebral (AVC) e isquêmicas do coração, como o infarto, tiveram as taxas reduzidas entre as mulheres, como informa o Portal do Ministério da Saúde.

Na Região Norte, a redução foi de 9,1% de casos.

“Essa redução mostra que o país tem qualificado assistência à mulher, mas também demonstra que temos de continuar priorizando as causas dos óbitos das mulheres, como o câncer de mama”, reforça o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Leia abaixo a íntegra da reportagem*:

O Brasil reduziu em 12% a mortalidade feminina nos últimos 10 anos. No período de 2000 a 2010, houve redução da taxa de mortalidade de 4,24 óbitos por mil mulheres para 3,72. Este é um dos estudos do Saúde Brasil (edição 2011), publicação do Ministério da Saúde.

“Essa redução mostra que o país tem qualificado assistência à mulher, mas também demonstra que temos de continuar priorizando as causas dos óbitos das mulheres, como o câncer de mama”, reforça o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Todas as regiões do país tiveram suas taxas reduzidas. A maior redução foi verificada na região Sul do país (14,6%), seguida pela região Sudeste (14,3%). A região Centro-Oeste apresentou redução de 9,6%, enquanto as regiões Nordeste e Norte, apresentaram redução de 9,1% e 6,8%, respectivamente.

Entre as principais causas de mortalidade feminina estão as doenças do aparelho circulatório, como Acidente Vascular Cerebral (AVC)e o infarto, que aparecem em primeiro lugar representando 34,2%. No entanto, as doenças cerebrovasculares e as isquêmicas do coração apresentaram redução no período de 2000 a 2010. A taxa das doenças cerebrovasculares em mulheres, como o AVC, caiu de 43,87 em 2000, para 34,99 em 2010. As doenças isquêmicas do coração, como o infarto, também tiveram a taxa reduzida de 34,85 para 30,04.

“A melhoria na assistência à saúde, o aumento da expectativa de vida aliado à ampliação do acesso à informação, assim como a redução do tabagismo contribuíram para termos um impacto positivo nas  mortes de jovens,” disse Deborah Malta, diretora de Análise de Situação em Saúde, do Ministério da Saúde.

Essas doenças têm como fatores de risco a falta de exercícios físicos e uma dieta rica em gordura saturada, que tem como consequência o aumento dos níveis de colesterol e hipertensão. Para ampliar e qualificar a assistência às vitimas de infarto e AVC, o Ministério da Saúde está investindo nas linhas de cuidado dessas doenças. Entre as novidades para o infarto está a inclusão dos medicamentos tenecteplase, alteplase e clopidogrel – para continuidade do tratamento, além do troponina que é o teste rápido para diagnóstico do infarto. Já para o AVC, a novidade também está na incorporação do trombolítico alteplase, além da ampliação de serviços habilitados para assistência às vítimas da doença.

CAUSAS – As neoplasias representam a segunda maior proporção de óbitos em mulheres em 2010, no total de 18,3%. Dentro das neoplasias, o câncer de mama tem o maior índice (2,8%), depois o câncer de pulmão (1,8%) e câncer do colo do útero (1,1%).

Como forma de prevenção do câncerde mama e do colo de útero, o Ministério da Saúde tem investido no Plano Nacional de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Colo do Útero e de Mama, lançando no ano passado. Entre as ações está a incorporação do Trastuzumabe, um dos mais eficientes medicamentos de combate ao câncer de mama e a expansão dos serviços de radioterapia no país.

Na faixa etária a partir dos 30 anos, as doenças do aparelho circulatório e neoplasias se confirmaram como as causas mais frequentes de óbitos. Já nos menores de 10 anos predominaram as afecções perinatais, e entre mulheres de 10 a 29 anos de idade, as causas externas, como, por exemplo, acidentes e agressões.

FECUNDIDADE – O estudo revela novo perfil da população feminina, apontando para envelhecimento desde público. Entre 2000 a 2010, a taxa de fecundidade geral no Brasil caiu de 2,38 para 1,9 filhos por mulher, valor inferior ao chamado nível de reposição que é de 2,1 filhos por mulher.

Em 2010, a esperança de vida das mulheres era de 77,32 anos, enquanto a dos homens era de 69,73 anos, o que corresponde a uma diferença de mais de sete anos.

MORTALIDADE MATERNA – O estudo Saúde Brasil também trouxe a taxa de mortalidade materna de 2010, que chegou a 68 óbitos para cada 100 mil nascidos vivos. Na comparação com os últimos 20 anos (1990 a 2010), a razão da mortalidade materna no Brasil caiu 50%.

Para continuar reduzindo esses índices, o Ministério da Saúde lançou no ano passado a estratégia Rede Cegonha, que vem ampliando e qualificando a assistência à mulher e ao bebê. Já foram destinados R$ 3,3 bilhões para execução das ações da rede, além de mais de R$ 89 milhões para fortalecer o pré-natal no SUS. Mais de 4.800 municípios já aderiram à estratégia, com a previsão de atendimento de mais de dois milhões de gestantes no país. 

 Fonte: Tinna Oliveira, da Agência Saúde – Ascom/MS para o Portal do Ministério da Saúde.

Prevenção em Goiás: ação no trânsito orientou mais de 400 condutores

O Hospital de Urgência da Região Sudoeste (HURSO), administrado pela Pró-Saúde em Santa Helena de Goiás, deu mais um bom exemplo de ação preventiva de saúde: no último dia 06 de setembro foi realizada outra mobilização da campanha  ‘Viajando com Segurança’.

Voluntários distribuíram materiais educativos para mais de 400 condutores, com apoio do Corpo de Bombeiros, na avenida que dá  acesso à GO-164. De acordo com Marcella Cunha, membro da comissão de humanização e responsável pela realização deste evento, o objetivo da campanha foi cumprido.

“Obtivemos êxito na ação, orientamos cada motorista que se dispôs a participar do projeto, levando dicas sobre direção defensiva e como portar-se em várias situações que podem ocorrer durante a viagem”, conta Marcella.

Uma iniciativa para ser compartilhada!

 

 

Você sabe o que é botulismo?

A notícia de que uma família foi vítima de botulismo em Santa Fé do Sul, a 620 km de São Paulo, colocou em discussão a doença que hoje ocorre raramente, por conta  da refrigeração correta dos alimentos e do aumento de consumo de produtos industrializados.

Uma megaoperação da Polícia Militar paulista garantiu que o soro específico para botulismo fosse levado da capital ao interior, por helicóptero, a tempo de salvar Benedito José dos Santos, de 38 anos, Elisete Garcia, de 30, e os filhos Juliana Bruna, de 12, e Cristiano, de 9. Eles fora internados no último domingo com vômito, diarreia, dificuldade de locomoção e visão embaçada. E ainda aguardam a alta hospitalar.

Nesta quinta-feira, a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo interditou um lote da marca de mortadela suspeita de ter contaminado a família, além de lote de milho enlatado. 

“Lavar as mãos antes de preparar os alimentos e evitar deixá-los expostos ao calor depois de abertos são cuidados simples que podem evitar a bactéria que causa o botulismo”, explicou o médico Danilo da Costa Duarte, infectologista do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo, administrado pela Pró-Saúde, em entrevista ao jornal da TVE.   

“O mais importante é respeitar o prazo de validade dos produtos, principalmente depois de abertos. Produtos alimentícios artesanais devem ser consumidos depois de uma escolha criteriosa, com controle sanitário adequado”, afirmou o médico.

A entrevista vai ao ar nesta sexta-feira, 24 de agosto, em dois horários: às 12h30 e às 19 horas, pelo canal 6 da NET Jundiaí.

Hospital Público de Dianópolis é parceiro nas ações de saúde do homem

Atividade física é a melhor aliada da saúde

Nesta segunda, 20, o Hospital Regional Público de Dianópolis atuou em parceria com a Prefeitura de Dianópolis, em um dia voltado a Saúde do Homem. O evento contou com palestras do Dr. Joaquim Knewitz sobre saúde do idoso, e representante da defensoria Pública com abordagem sobre drogas, próximo à rodoviária do município.

A finalidade do evento é conscientizar a classe masculina da importância da prevenção de doenças, incentivando a práticas de esportes e hábitos de realização de check-up.

O Diretor do Hospital, Geraldo Junior, fala que é essencial o homem realizar os exames de prevenção “É importante o homem deixar o preconceito de lado com e realizar os exames relação atendimento do médico”, afirma.

Além de palestras, o evento contou com diversas atividades: como ginástica laboral, corte de cabelos, verificação de pressão arterial, glicemia ‘e sorteios de brindes doados pelo comércio local.

 

Fonte: Luciana Barros (Ascom/Sesau)